Gestão financeira só é importante para grandes negócios?

Gestão financeira só é importante para grandes negócios?

Nunca se falou tanto em fazer a gestão do supermercado como nos dias atuais, em fazer uma excelente gestão, controlar os números, resultados, como aumentar a receita, diminuir a despesas, enfim melhorar a operação e obter mais lucros.
 
Isso tudo movido é claro pela situação que vivemos, crise econômica em quase todos os setores da economia, desde petróleo, bancos, indústria e comércio. E ajustar, controlar, medir nada mais é do que gerenciar, porém sempre ficou muito claro para os especialistas em administração, contabilidade e finanças que uma organização além de ter o público-alvo e o que considero como mais difícil obter o cliente para comprar a mercadoria ou serviço e mantê-lo, é gerenciar seu negócio desde do simples ato de comprar a mercadoria, contratar funcionário, vender, e todas etapas comuns numa operação, é gerenciar seu financeiro, é ter uma excelente gestão financeira. Não precisa ser nenhum especialista em finanças para se fazer esse controle. Por muito tempo foi feito no famoso caderninho, hoje com a evolução tecnológica é possível ter excelentes sistemas e formas de controlar o financeiro de qualquer negócio com excelência, mas se ater para alguns cuidados importantes, faz com essa gestão se torne cada vez não só minuciosa mas primordial para o bom funcionamento da operação e da empresa, cuidados como:
1. separar tudo aquilo que for do sócio e da empresa, o que é pertinente ao teu negócio, de forma a visualizar o que faz parte da tua operação;
 
2. Controlar cada R$ 1,00 que sai e que entra, não há como ter um controle financeiro se não é possível mensurar o que teve disponível para pagamento, o que de fato entrou na empresa e o que saiu, só consigo visualizar o saldo disponível como sendo de fato o ocorrido se tenho o cuidado de controlar o que entra e o que sai;
 
3. Possui mesmo que numa simples planilha de Excel relatórios que façam com que tenha controle do financeiro, como relatórios contas a pagar, contas pagas, Fluxo de caixa e DRE;
 
4. Ter segurança financeira, que nada mais é que ter uma sobra suficiente para pagar pelo menos um mês de despesas fixas (fixa que podem ser com valores variáveis), se acontecer algum imprevisto e não vender, não puder abrir como pagarei minhas contas? Recorrer a recursos financeiros é um indicador que as coisas não estão legais, então a forma de evitar essa situação é ter uma segurança financeira, uma reserva;
 
5. E por fim a acompanhar sempre o DFC - Demonstrativo de fluxo de caixa e o DRE -Demonstrativo de resultados do exercício, o DFC trata-se de um relatório financeiro, e através dele consigo visualizar se meu caixa (tesouraria e banco, o disponível para pagar) está positivo ou negativo, se terei condições de arcar com os pagamentos futuros, e o DRE que trata-se de um demonstrativo econômico me apresenta se de fato meu negócio é lucrativo, se consigo ter uma boa margem para pagar as contas, onde consigo melhorar para aumentar a lucratividade, e o DFC é o final na minha concepção, pois um gestor financeiro visualiza sempre esses dois relatórios a fim de mensurar o bom andamento do negócio. Concluindo, independente do faturamento da empresa, do porte ou ramo de atividade a gestão financeira é tão importante quanto comprar e vender.

1 Comentário

  1. Lucas Morais disse:

    Interessante este artigo, visto que todo pequeno negócio objetiva crescer, e todo grande negócio necessitou de uma boa gestão para chegar aonde está.
    Gostei!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *