Não deixe seu dinheiro escoando ou engessado!

Não deixe seu dinheiro escoando ou engessado!

Uma boa gestão do estoque de um supermercado está diretamente relacionada com uma série de fatores que precisam ser levados em conta, como a mão de obra que o manuseia, espaço, condições do armazém e fundamentalmente um  local onde se maximiza o espaço de armazenagem. Normalmente, se faz durante o processo de armazenagem, pequenos ciclos desta “fatigante” rotina do cuidado das mercadorias e, com a necessidade de reabastecimentos rápidos, a armazenagem necessita de uma constante racionalização e consequente diminuição. Não necessariamente importa quais sejam os produtos armazenados, uma das principais preocupações de qualquer mercado é garantir a contagem precisa do Inventário. Vale sempre ressaltar, por experiências minha vividas em minha época de Supermercados, que um bom não, um excelente sistema de controle de Inventário é vital à operação de qualquer mercado e há duas formas mais populares de se realizar um Inventário, o Periódico e o Rotativo. (Ver artigo sobre Diferenças entre Inventário Rotativo ou Periódico).
 
Então, a vocês clientes Focus e estudiosos do seguimento, vejam 6 motivos para realizar um Inventário Rotativo.

1. Passará a ter uma equipe especializada

Ao meu ver, como um gestor também, o principal motivo, ou um dos principais pelo qual o Inventário Rotativo deve ser utilizado é a especialização dos profissionais de dentro de casa, pois com a contagem fazendo parte da rotina e da cultura, as equipes desenvolvem técnicas e métodos para dar mais dinamismo na operação, o que acaba contribuindo para a contagem. E vivenciando essa rotina de seus trabalhos, cada profissional se especializa em sua área de contagem, em determinado família, categoria, produto etc. Por exemplo, falo como alguém que viveu essa realidade, identificaria produtos danificados, também é mais fácil verificar o funcionário responsável, não para culpá-lo, mas para monitorar o processo do inventário. Se um funcionário continuar a danificar o inventário, essa pessoa pode ter que receber um novo treinamento ou  um treinamento especializado para corrigir o problema.

2. Aprimoramento no processo de Inventário

Com esse processo criado de serem executadas diariamente, semanalmente as contagens cíclicas, há um aprimoramento na cultura do mercado em se acostumar com a contagem Inventário Periódico do estoque.

3. Irá necessitar de menos esforço

Ciclicamente, Devido ao uso da contagem, os esforços concentrados para a realização do Inventário Rotativo são menores do que para o Inventário Periódico. Neste ponto, o cerne é contar alguns itens a cada dia de modo que todos os itens do supermercado sejam contados dentro do período pré estabelecido pelo sistema ABC, preferencialmente, de acordo com valor do produto ou volume de saída. Criada essa rotina, a contagem se torna parte do processo de trabalho dos funcionários ao invés de ser uma atividade sazonal, feita só no final do ano, em que todos os esforços se voltam para a contagem.

4. Possivelmente, terá um impacto menor na operação

Como dito anteriormente, por se tornar parte da rotina diária dos gestores e colaboradores é que ocorre um baixo impacto na operação de armazenagem do estoque. Se no Inventário Periódico é necessário parar as operações para realizar a contagem, no rotativo ela é feita de maneira conjunta.

5. Antever os problemas antes de deixar acontecer

Nesta invejável é incansável rotina do Inventário Periódico, o mercado deveria ficar fechado, no final de cada ano, para realizar a contagem.
E por consequência, caso viesse a ser identificado algum problema, este seria solucionado somente para as operações do ano seguinte. Já  no caso do Rotativo, um inventário completo, feito principalmente nos produtos de curva A, de maior rentabilidade e de maior giro. Assim, a identificação de problemas são rapidamente solucionados.

6. Bloco K e  Bloco H – EFD ICMS IPI

Com o aprimoramento das ferramentas de fiscalização da Receita Federal e Estadual, tornou-se possível, hoje, apurar e controlar o estoque e inventário físico das lojas. A obrigação do Bloco H já é realidade para todas as empresas contribuintes do ICMS do Regime Tributário Lucro Real e Presumido. Nesse bloco é informado o inventário final da Empresa do último ano. Já o Bloco K é antigo nas indústrias, mas recente nas empresas atacadistas. Aqui é preciso declarar o estoque mensal das mercadorias. É tudo muito bem amarrado! Quantidade comprada, vendida, utilizada como insumo, uso e consumo, que foi extraviada... por ai vai! Não possui um estoque controlado afeta diretamente a entrega dessa obrigação; a longo prazo isso pode ser convertido em multas para empresa! Como uma contabilidade especializada no varejo, a FOCUS pensa além e já prevê a obrigação do BLOCO K para todas as empresas. É questão de tempo até que o Estado comece a confrontar o que a empresa comprou, o que vendeu e o que ficou em estoque - havendo divergências, haverá também autuações. Esse é o cenário que podemos esperar: fiscalização, controle e autuações — pela falta de controle.
 
Alcir Guimarães.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *